Com a chegada de novas tecnologias no chão de fábrica e a constante implementação de conceitos da Indústria 4.0 e digitalização de processos e operações, as indústrias começaram a automatizar tarefas gerando conhecimento de valor, através de dados, para ganho de performance.

Entretanto, essas indústrias possuem plantas gigantescas, e consequentemente, muitos dados. Sabemos que o momento de evolução tecnológica em que vivemos, dados são essenciais, e a tendência é que gradativamente ainda mais dados sejam gerados.

 

analyzing-data-close-up-of-young-businessman

 

Leia: Os segredos da indústria 4.0

 

Porém, o aumento na extração de informação gera um contraponto dentro das indústrias, que deve ser levado em consideração.

 

Vamos supor que uma indústria possui 4 núcleos onde em cada um são extraídos 24h por 7 dias dados sobre a performance dos ativos que envolvem o processo. Embora os 4 núcleos desempenhem funções parecidas, os dados são armazenados em plataformas diferentes, específicas para cada um.

 

Um gerente responsável por toda a operação precisa realizar análise de desempenho entre os 4 núcleos para tomar decisões acerca de possíveis melhorias ou planos de ações que garantam que esses núcleos produzam o resultado esperado no fim do mês.

 

A falta de centralização dessas informações é um obstáculo para esse gerente.

 

O que acontece é que esses dados geralmente são armazenados em planilhas, como Excel ou similares. Esse tipo de armazenamento gera uma dificuldade na visualização, acesso e interpretação dessas informações.

Os dados que deveriam ser usados como fornecedores de conhecimento passam a ser os próprios obstáculos se não são armazenados de forma inteligente e intuitiva.

 

Outro problema é o tempo de acesso à informação. 

 

Vamos supor outro cenário.

 

Após análise daqueles 4 núcleos, percebe-se que em um deles possui desgaste em alguns ativos, e que deve-se realizar uma inspeção emergencial para que a manutenção possa ser executada.

Petrochemical plant

O operador responsável por essa inspeção terá em mãos uma tarefa hercúlea. Além de precisar entender quais são os ativos específicos que necessitam de inspeção, esse operador terá que vasculhar outros sistemas para ter acesso aos manuais que envolvem o ativo em questão. Depois, precisa acessar um segundo sistema onde deverá realizar o planejamento da sua atividade. Após isso, terá que emitir uma ordem de serviço, realizar o procedimento e novamente informar esses dados em mais um sistema diferente.

 

Certamente esse operador demandará muito tempo para execução dessa tarefa do que se todas as informações relevantes para a execução da atividade fossem disponibilizadas em um único sistema.

Ter essas informações centralizadas, além de gerar ganho em tempo, também contribui para maior precisão na interpretação desses dados, visto que todas as informações relevantes estarão disponíveis em apenas alguns clicks.

Analyzing data. Close-up of young businessman pointing on the data presented in the chart with pen while working in creative office

Outro fato que chama atenção é a possibilidade de flexibilidade, pois um sistema único pode ser acessado de diversos dispositivos. Dessa forma, nosso amigo operador poderá acessar os dados para execução da sua atividade diretamente do campo em que deve inspecionar por meio de tablets.

 

A centralização de informações é uma garantia de que as indústrias terão em suas mãos as ferramentas necessárias para obter a maior performance possível dentro das suas operações.

 

A indústria 4.0 vem ganhando cada vez mais força nas indústrias, mas não se trata apenas de uma questão sobre digitalização, mas sim, de como essas grandes indústrias podem usar a tecnologia de forma inteligente e que gerem resultados ainda melhores.

 

Leia: Menor tempo para execução de atividades e maior precisão, entenda

 

CEO de empresa brasileira palestra sobre Digital Twin em evento internacional
dumper truck with loaded stones driving along in a quarry. mininTransformação digital: Um futuro sustentável para a Mineração