A indústria de óleo e gás tem se deparado constantemente nos últimos anos com a necessidade de reinvenção em meio a um período onde a necessidade de adaptação a energias renováveis e seus impactos sobre o consumo de petróleo se tornam cada vez mais presentes.

A disrupção que o setor enfrenta é, talvez, a maior entre as indústrias. Trata-se de um setor que deve se adaptar a novos modelos de negócio para que mantenha competitividade no mercado, operando com sustentabilidade, e menores riscos.

Para isso, são necessárias novas estratégias que agreguem valor às operações por meio de tecnologias que otimizem a força de trabalho gerando valor e propósito ao modelo de  negócio vigente.

 

Certamente, caminhar sentido à disruptura de métodos tradicionais não é uma opção para o setor de óleo e gás, mas sim, uma necessidade essencial para que essas indústrias não sejam atingidas pelos preços em queda do barril de petróleo, e as muitas crises que o setor tem enfrentado nos últimos 30 anos.

 

Para isso, as indústrias têm de estar abertas a tecnologias que buscam a descentralização da operação, com uso de dados, e inteligência artificial para que informações sobre a operação ocorram através de um fluxo contínuo de dados, com predição de tendências entre outras informações valiosas para tomadas de decisão, sejam obtidas para o desenvolvimento de planos de ação e execução com auxílio de insights gerados pela interpretação de dados.

 

Além disso, as indústrias necessitam alinhar suas expectativas e objetivos à seus stakeholders para que a disrupção possa tomar os caminhos desejados e entregar resultados relevantes.

 

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL E A IMPORTÂNCIA DE MONITORAMENTO DE ATIVOS

 

Quando analisamos o setor de óleo e gás, é imprescindível que também sejam feitas análises em suas instalações com o objetivo de identificar novas oportunidades de ganho de performance através do uso de tecnologia.

Desde a extração ao refinamento de petróleo, as plantas industriais deste setor possuem um grau de complexidade muito grande, com diversas variáveis de difícil controle, e além da necessidade de operar com o mínimo de risco possível ao seus operadores através da sua operação.

 

Para que isso seja possível, é fundamental que estratégias de monitoramento de integridade de ativos sejam traçadas e alinhadas a tecnologias como Digital Twin e Inteligência Artificial. Dessa forma, a indústria tem a oportunidade de gerar valor a sua operação através de ferramentas que promovem a digitalização e automação de atividades de inspeção e manutenção, e também possibilitam tipos de análise por meio de algoritmos de IA, que não seria possível através de métodos tradicionais.

factory smoke stack

A gestão de integridade de ativos dentro de uma instalação industrial é uma das disciplinas com maior importância dentro dos processos. Responsável por garantir a segurança e continuidade da operação, a gestão de integridade vem sendo uma das disciplinas que podem ser otimizadas através da transformação digital. Clique e acesse um conteúdo detalhado sobre esse importante assunto.

 

A tendência é que essas indústrias embarquem na jornada da transformação digital por meio de ferramentas customizáveis que possam ser aplicadas e adaptadas às necessidades específicas daquela indústria. 

 

São softwares equipados com Digital Twin, Inteligência Artificial, e IIoT, as ferramentas que tem o potencial de gerar a disruptura que esse setor tanto necessita. 

 

Ferramentas capazes de replicar inteiramente um planta com dezenas de milhares de ativos que necessitam ser monitorados e geridos, gerando dados através de um fluxo contínuo de informações , e que ainda, com a ajuda de algoritmos de IA, são capazes de identificar anomalias de difícil percepção, gerar alertas, e até mesmo predizer falhas, se tornam essenciais em uma jornada em busca de uma nova era digital.

 

É imprescindível que as indústrias de Óleo e Gás entendam a necessidade de reinvenção em um período que demanda flexibilidade, descentralização e sobretudo ganho de performance com uso de tecnologia de ponta, para que seus negócios se mantenham competitivos em um mercado em constante transformação e que passa por transformações constantes.

 

Conheça quais são as ferramentas capazes de gerar valor à operação através de uma gestão de integridade de ativos mais eficiente e eficaz. Clique e acesse!

A indústria de óleo e gás tem se deparado constantemente nos últimos anos com a necessidade de reinvenção em meio a um período onde a necessidade de adaptação a energias renováveis e seus impactos sobre o consumo de petróleo se tornam cada vez mais presentes.

A disrupção que o setor enfrenta é, talvez, a maior entre as indústrias. Trata-se de um setor que deve se adaptar a novos modelos de negócio para que mantenha competitividade no mercado, operando com sustentabilidade, e menores riscos.

Para isso, são necessárias novas estratégias que agreguem valor às operações por meio de tecnologias que otimizem a força de trabalho gerando valor e propósito ao modelo de  negócio vigente.

 

Certamente, caminhar sentido à disruptura de métodos tradicionais não é uma opção para o setor de óleo e gás, mas sim, uma necessidade essencial para que essas indústrias não sejam atingidas pelos preços em queda do barril de petróleo, e as muitas crises que o setor tem enfrentado nos últimos 30 anos.

 

Para isso, as indústrias têm de estar abertas a tecnologias que buscam a descentralização da operação, com uso de dados, e inteligência artificial para que informações sobre a operação ocorram através de um fluxo contínuo de dados, com predição de tendências entre outras informações valiosas para tomadas de decisão, sejam obtidas para o desenvolvimento de planos de ação e execução com auxílio de insights gerados pela interpretação de dados.

 

Além disso, as indústrias necessitam alinhar suas expectativas e objetivos à seus stakeholders para que a disrupção possa tomar os caminhos desejados e entregar resultados relevantes.

 

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL E A IMPORTÂNCIA DE MONITORAMENTO DE ATIVOS

 

Quando analisamos o setor de óleo e gás, é imprescindível que também sejam feitas análises em suas instalações com o objetivo de identificar novas oportunidades de ganho de performance através do uso de tecnologia.

Desde a extração ao refinamento de petróleo, as plantas industriais deste setor possuem um grau de complexidade muito grande, com diversas variáveis de difícil controle, e além da necessidade de operar com o mínimo de risco possível ao seus operadores através da sua operação.

 

Para que isso seja possível, é fundamental que estratégias de monitoramento de integridade de ativos sejam traçadas e alinhadas a tecnologias como Digital Twin e Inteligência Artificial. Dessa forma, a indústria tem a oportunidade de gerar valor a sua operação através de ferramentas que promovem a digitalização e automação de atividades de inspeção e manutenção, e também possibilitam tipos de análise por meio de algoritmos de IA, que não seria possível através de métodos tradicionais.

factory smoke stack

A gestão de integridade de ativos dentro de uma instalação industrial é uma das disciplinas com maior importância dentro dos processos. Responsável por garantir a segurança e continuidade da operação, a gestão de integridade vem sendo uma das disciplinas que podem ser otimizadas através da transformação digital. Clique e acesse um conteúdo detalhado sobre esse importante assunto.

 

A tendência é que essas indústrias embarquem na jornada da transformação digital por meio de ferramentas customizáveis que possam ser aplicadas e adaptadas às necessidades específicas daquela indústria. 

 

São softwares equipados com Digital Twin, Inteligência Artificial, e IIoT, as ferramentas que tem o potencial de gerar a disruptura que esse setor tanto necessita. 

 

Ferramentas capazes de replicar inteiramente um planta com dezenas de milhares de ativos que necessitam ser monitorados e geridos, gerando dados através de um fluxo contínuo de informações , e que ainda, com a ajuda de algoritmos de IA, são capazes de identificar anomalias de difícil percepção, gerar alertas, e até mesmo predizer falhas, se tornam essenciais em uma jornada em busca de uma nova era digital.

 

É imprescindível que as indústrias de Óleo e Gás entendam a necessidade de reinvenção em um período que demanda flexibilidade, descentralização e sobretudo ganho de performance com uso de tecnologia de ponta, para que seus negócios se mantenham competitivos em um mercado em constante transformação e que passa por transformações constantes.

 

Conheça quais são as ferramentas capazes de gerar valor à operação através de uma gestão de integridade de ativos mais eficiente e eficaz. Clique e acesse!

A indústria de óleo e gás tem se deparado constantemente nos últimos anos com a necessidade de reinvenção em meio a um período onde a necessidade de adaptação a energias renováveis e seus impactos sobre o consumo de petróleo se tornam cada vez mais presentes.

A disrupção que o setor enfrenta é, talvez, a maior entre as indústrias. Trata-se de um setor que deve se adaptar a novos modelos de negócio para que mantenha competitividade no mercado, operando com sustentabilidade, e menores riscos.

Para isso, são necessárias novas estratégias que agreguem valor às operações por meio de tecnologias que otimizem a força de trabalho gerando valor e propósito ao modelo de  negócio vigente.

 

Certamente, caminhar sentido à disruptura de métodos tradicionais não é uma opção para o setor de óleo e gás, mas sim, uma necessidade essencial para que essas indústrias não sejam atingidas pelos preços em queda do barril de petróleo, e as muitas crises que o setor tem enfrentado nos últimos 30 anos.

 

Para isso, as indústrias têm de estar abertas a tecnologias que buscam a descentralização da operação, com uso de dados, e inteligência artificial para que informações sobre a operação ocorram através de um fluxo contínuo de dados, com predição de tendências entre outras informações valiosas para tomadas de decisão, sejam obtidas para o desenvolvimento de planos de ação e execução com auxílio de insights gerados pela interpretação de dados.

 

Além disso, as indústrias necessitam alinhar suas expectativas e objetivos à seus stakeholders para que a disrupção possa tomar os caminhos desejados e entregar resultados relevantes.

 

TRANSFORMAÇÃO DIGITAL E A IMPORTÂNCIA DE MONITORAMENTO DE ATIVOS

 

Quando analisamos o setor de óleo e gás, é imprescindível que também sejam feitas análises em suas instalações com o objetivo de identificar novas oportunidades de ganho de performance através do uso de tecnologia.

Desde a extração ao refinamento de petróleo, as plantas industriais deste setor possuem um grau de complexidade muito grande, com diversas variáveis de difícil controle, e além da necessidade de operar com o mínimo de risco possível ao seus operadores através da sua operação.

 

Para que isso seja possível, é fundamental que estratégias de monitoramento de integridade de ativos sejam traçadas e alinhadas a tecnologias como Digital Twin e Inteligência Artificial. Dessa forma, a indústria tem a oportunidade de gerar valor a sua operação através de ferramentas que promovem a digitalização e automação de atividades de inspeção e manutenção, e também possibilitam tipos de análise por meio de algoritmos de IA, que não seria possível através de métodos tradicionais.

factory smoke stack

A gestão de integridade de ativos dentro de uma instalação industrial é uma das disciplinas com maior importância dentro dos processos. Responsável por garantir a segurança e continuidade da operação, a gestão de integridade vem sendo uma das disciplinas que podem ser otimizadas através da transformação digital. Clique e acesse um conteúdo detalhado sobre esse importante assunto.

 

A tendência é que essas indústrias embarquem na jornada da transformação digital por meio de ferramentas customizáveis que possam ser aplicadas e adaptadas às necessidades específicas daquela indústria. 

 

São softwares equipados com Digital Twin, Inteligência Artificial, e IIoT, as ferramentas que tem o potencial de gerar a disruptura que esse setor tanto necessita. 

 

Ferramentas capazes de replicar inteiramente um planta com dezenas de milhares de ativos que necessitam ser monitorados e geridos, gerando dados através de um fluxo contínuo de informações , e que ainda, com a ajuda de algoritmos de IA, são capazes de identificar anomalias de difícil percepção, gerar alertas, e até mesmo predizer falhas, se tornam essenciais em uma jornada em busca de uma nova era digital.

 

É imprescindível que as indústrias de Óleo e Gás entendam a necessidade de reinvenção em um período que demanda flexibilidade, descentralização e sobretudo ganho de performance com uso de tecnologia de ponta, para que seus negócios se mantenham competitivos em um mercado em constante transformação e que passa por transformações constantes.

 

Conheça quais são as ferramentas capazes de gerar valor à operação através de uma gestão de integridade de ativos mais eficiente e eficaz. Clique e acesse!